AGROTURISMO E OLIMPíADA DE PARIS: UM “LE SAVOIR-VIVRE” PARA OS VINHOS

Se você estiver viajando a Paris para as Olimpíadas de 2024, entre 26 de julho e 11 de agosto, considere chegar um pouco mais antes ou ficar por alguns dias para visitar pelo menos uma região vinícola francesa. Os quatro destinos vinícolas abaixo podem ser alcançados de trem saindo de Paris em poucas horas. Nestes destinos é possível alugar um carro, usar o transporte público ou contratar um serviço de guia para conhecer um pouco mais da região.

Confira algumas notas sobre viagens de trem na França.

Esteja ciente de que a segurança será reforçada dentro e ao redor da cidade de Paris durante as Olimpíadas. Se decidir viajar de trem, chegue à sua estação pelo menos trinta minutos antes da partida. Tente reservar, pagar e baixar sua passagem com antecedência no site da ferrovia francesa SNCF. Uma alternativa é o site da Trainline. O site ferroviário suíço – SBB – também fornece informações sobre trens franceses.

Leia também Forbes Agro Agroturismo e Olimpíada de Paris: um “le savoir-vivre” para os vinhos Forbes Agro Brasil traz para casa 137 medalhas do Decanter World Wine Awards 2024 Forbes Agro ABC do vinho: o que você precisa saber sobre o pinot noir Forbes Agro Gerações Z, millennial e X estão bebendo mais vinhos nos EUA Forbes Agro Champagne em xeque: o que é batalha francesa pela tradição

Os bilhetes de trem de primeira classe têm preços razoáveis. Compre-os on-line com antecedência para poder reservar assentos, especialmente se estiver viajando com outras pessoas, para que possam sentar-se juntos.

Talvez seja necessário mostrar sua passagem antes de embarcar em um trem na França. No entanto, a identificação geralmente não é solicitada.

A maioria dos trens tem vagões que vendem alimentos e aparadores onde é possível comer de pé. Você também pode comprar comida e levá-la para o seu lugar. Lembre-se de que os franceses são meticulosos com o horário do almoço, por isso é melhor comer antes do meio-dia ou depois das 14h para evitar ficar no que poderia ser uma longa fila para pedir comida.

Pelo mesmo preço que você pagará por um quarto de hotel em Paris, poderá garantir acomodações mais espaçosas em uma região vinícola fora daquela cidade.

Não hesite em reservar um guia ou uma viagem de van/mini-ônibus – mesmo que seja por meio dia ou um dia inteiro. Os especialistas economizarão tempo e inconvenientes e reduzirão as dificuldades linguísticas. Eles também podem fornecer informações históricas enquanto você viaja e identificar onde comer bem a um preço razoável.

QUATRO REGIÕES VINÍCOLAS FRANCESAS Bordeaux Atrações

Bordeaux é uma bela cidade designada como Patrimônio Mundial da Unesco. Deslocar-se pela cidade é fácil usando o sistema de bonde. Compre uma passagem de bonde válida para pelo menos 10 viagens em uma máquina localizada em muitas (mas não todas) paradas de bonde ou em qualquer loja de livros/revistas Relay dentro de uma estação de trem ou aeroporto.

Alternativamente, é possível continuar em um segundo trem saindo de Dijon por 19 minutos para chegar à antiga cidade murada de Beaune – que inclui excelentes restaurantes, lojas de vinhos e o atraente Hotel Dieu dos Hospices de Beaune.

Vinhos

A Borgonha é conhecida pelos vinhos tintos feitos com a uva Pinot Noir e pelos vinhos brancos feitos com Chardonnay. Você também pode experimentar vinhos brancos feitos com a uva Aligoté e tintos feitos com a uva Gamay.

Combinações de comida e vinho

O vinho branco Chablis (que é Chardonnay de uma determinada região da Borgonha) combina classicamente com caracóis escargot e, claro, uma baguete de pão.

Coq au vin ou beef bourguignon podem ser combinados com vinho tinto; experimente também gougères – salgados de queijo – com uma taça de espumante Crémant de Bourgogne.

Champagne Atrações

A catedral gótica de Reims é atraente para visitar, e considere também visitar a adega de uma casa de champanhe menor, como a Bouquet. A cidade de Aÿ-Champagne é um local tranquilo, rodeado por vinhedos de propriedade de famosas casas de champanhe.

Uma alternativa é viajar da Gare Montparnasse para Angers, no Vale do Loire, em uma hora e 40 minutos.

Da Gare d’Austerlitz, a viagem até Orleans leva uma hora e cinco minutos.

Vinhos

Geralmente, os vinhos brancos do Vale do Loire são feitos a partir da uva Chenin Blanc, bem como Sauvignon Blanc e Chardonnay, enquanto os vinhos tintos são feitos a partir de Cabernet Franc, bem como Gamay e Pinot Noir. No litoral, porém, vinhos brancos de excelente valor, conhecidos como Muscadet (feitos a partir da uva Melon de Bourgogne), são conhecidos por combinarem com frutos do mar.

Combinação de comida e vinho

Salsicha Andouilette e vinho tinto Cabernet Franc.

Vinho branco da denominação Muscadet Sèvre et Maine – como do Domaine du Fayd’Homme – com vieiras.

*Tom Mullen é colaborador da Forbes EUA e escreve sobre mercado, tendências e histórias sobre empreendedores.

2024-07-03T09:29:52Z dg43tfdfdgfd